Por que se tornar um Cético de Mente Aberta?


Thomas Campbell, um físico americano que já trabalhou na NASA e também é autor do livro “Minha Grande Teoria de Tudo”, discute nessa obra a construção da realidade e diz que a realidade é virtual.


Esse mundo, que experimentamos aqui, seria uma espécie de jogo virtual feito basicamente às custas de informações, assim como um computador que funciona com a codificação do 1 e do 0.



Para entender melhor o que é a realidade virtual, você poderá encontrar maiores esclarecimentos no artigo “Explicando O Que São Arquétipos Através das 07 Principais Visões de Mundo”.



Uma frase dita durante seu Simpósio em São Paulo no ano de 2019 gerou muito impacto e nos fez refletir. A frase é: "Sejam céticos de mente aberta". Mas como assim? Sermos céticos de mente aberta?


Ser cético não é ser aquele que não acredita em nada. Na verdade, ser cético é você questionar tudo. Segundo o dicionário, cético é aquele que não confia, que duvida. Essa pessoa, então, não toma nada como verdade em um primeiro momento.


Ser uma pessoa mente-aberta é ser alguém racional, livre de preconceitos, capaz de ouvir opiniões contrárias às suas e ponderar sobre elas.


Agora que os conceitos já foram explicitados, vamos ao propósito de se tornar uma pessoa assim.





E por que ser um cético de mente-aberta?




Existem infinitas correntes filosóficas e religiosas, existe a ciências...enfim, existem milhares de pontos de vista no mundo inteiro sobre a realidade. Se você for tomar todos como verdade logo de primeira, as chances de você se confundir e nada fazer sentido é muito grande. Mas se você tomar algo como uma verdade absoluta, você pode focar de forma extrema em uma única coisa.


Mas você pode questionar todos eles, se perguntar “Será que isso serve realmente para mim?” no momento em que eles lhe forem apresentados.


Apesar de aplicarmos o ceticismo, precisamos manter a mente aberta pra saber que tais pontos de vista podem se aplicar e para absorver aquilo que nos foi dito. Meditar e refletir em cima do que nos foi mostrado.


Se não tomamos nada como verdade em um primeiro momento, nos tornamos menos propensos a sermos manipulados.


Existem diversas críticas à determinadas religiões, dizendo que elas manipulam seus crédulos. Isso é dito porque às vezes as pessoas, em um determinado momento da vida delas, elas sentem a carência por um significado (que é o que tentamos trazer para vocês, significado para as suas e para as nossas vidas) e encontram em uma corrente de pensamento um significado muito plausível, abraçando tal corrente como verdade.


Então, é preciso muito cuidado com o que tomamos como verdade. Se você se amparar em tudo o que falamos/escrevemos como verdade, você estará vivendo a nossa verdade. E não é esse o objetivo.


O objetivo aqui é você ouvir/ler o que estamos lhe transmitindo, apreender e aprender, pegar o que lhe serve e, o que não serve, você pode dispensar.





Nós construímos a nossa própria verdade


Desse modo, ao sermos céticos nos tornamos pessoas muito difíceis de se manipular. Mas há um grande problema também ao nos tornarmos pessoas 100% céticas: passamos a desconsiderar coisas e conceitos que são muito importantes.


Esse ponto de vista é muito interessante! Ser um cético de mente aberta nos auxilia, e muito, na jornada de nossa vida.


É uma filosofia de vida muito linda, que nos ajuda muito a não sermos passado para trás e, também, a não acreditarmos em nada como verdade absoluta antes de ponderar sobre. Nós e nossa vida precisam de significado.


O objetivo deste trabalho é te ajudar a criar o seu próprio significado, e não significar algo para você. Não estamos aqui para te ajudar a fazer algo, o nosso objetivo - a nossa forma de ajudar - é mostrar um caminho possível para o seu autoconhecimento e autodesenvolvimento.


Portanto, não leve nada do que falamos/escrevemos aqui como verdade, mas tenha a mente aberta para assimilar alguma coisa ou outra que estamos expondo aqui.


Isso já será de grande valia e nos deixará muito feliz de saber que a nossa mensagem, o que nós acreditamos, pode contribuir um pouco para o que você acredita.





Reflexão



Ter esta posição, de ser um cético de mente aberta, mostra muitos benefícios. Mas como sempre, é necessário ter cuidado para não levar ao extremo. Devemos sempre buscar o equilíbrio.


Por isso que a ponderação de tudo o que nos é apontado e exposto se faz extremamente necessária, assim como absorver aquilo que nos agrega e deixar para trás aquilo que somente nos atrasa, nos segura e não nos deixa evoluir.


Muito do que nos impede de iniciar, ou mesmo dar continuidade, ao nosso processo de individuação e evoluir são nossas sombras; elas são tudo aquilo que reprimimos em nós mesmos, traumas, segredos, enfim, tudo aquilo que rejeitamos e não permitimos ser.


Uma maneira de se conhecer, compreender o seu ser de maneira mais ampla e plena e, desse modo, conseguir distinguir em si suas características mais profundas é o Mapa Arquetípico®.


Com ele, você terá a chance de descobrir o seu arquétipo regente, seus aspectos luz e seus aspectos sombra. Além disso, poderá descobrir quais arquétipos você pode ativar, se for do seu desejo.


Se deseja receber mais informações sobre esse tema, se inscreva para receber conteúdos em primeira mão.



Se quiser fazer seu Mapa Arquetípico®, acesse o link:

https://www.artetipos.com/garantirmeumapa



Isto posto, no que você acredita? Qual é a sua verdade? Deixe sua resposta nos comentários, dessa forma a ajuda e a troca será mútua.


Abraços fraternos,

Lucca Ferronatto.

213 visualizações
  • Facebook
  • YouTube
  • Grey Instagram Ícone

© 2019 Artétipos - MABEL C. DIAS CONSULTORIA EPP - Todos os direitos reservados.

| Fale conosco - contato@artetipos.com | Tel: (11) 9.4240-0110