O Segredo que Ninguém Nunca lhe contou sobre o Karma



Qual é o segredo que ninguém nunca te contou sobre o karma?


Esse é um tema muito famoso e que "vive na boca do povo". Como analisamos simbologias por aqui, seria legal que trouxéssemos mais uma para vocês.


Muitos acreditam que o karma seja um castigo divino, ou possuem a péssima mania de dizer que tal pessoa é seu karma, ou certa situação ou acontecimento é seu karma - como se o karma fosse algo punitivo, um fardo a ser carregado.


Mas, na realidade, não é bem assim. Estudando a filosofia dos Vedas, o Bhagavad Gita, é possível entender melhor esse conceito de karma (que, já adianto, não tem nada a ver com punição divina ou com um fardo para se carregar ao longo de toda a nossa existência).


Vamos descobrir mais?





O Conceito de Karma


Esse é um conceito bem mais simples do que parece. Karma é uma palavra do idioma sânscrito e que significa "ação". É um princípio que nos fala sobre a lei da causalidade, ou como melhor a conhecemos, sobre a lei da ação e reação.


Em termos práticos, o karma significa que toda ação terá um efeito. Enquanto nós vivemos, nós agimos; e enquanto agimos, estamos sujeitos à essa lei. Mas observe como isso não é nenhum castigo divino ou nada sobrenatural.


É simplesmente uma lei universal, a física do universo, o funcionamento da realidade.


Se você parar por um instante e olhar para a ciência, mais especificamente para a terceira lei de Newton, ela diz que toda ação tem uma reação de igual intensidade e em sentido contrário.


Será que Newton inventou isso em sua cabeça ou será que ele observou o princípio do karma?


Há algum tempo postamos um artigo sobre as 7 Leis Herméticas e, para ser mais exato, a sexta lei diz que toda causa tem o seu efeito, ou que todo efeito tem a sua causa, tudo acontece de acordo com a lei.


Quer saber mais sobre as 7 Leis Herméticas? Você pode clicar no link abaixo para ter acesso à não só um, mas sim dois artigos completos sobre elas.



Quero ler os artigos As 7 Leis Herméticas colocadas em Prática (Parte 1) e As 7 Leis Herméticas colocadas em Prática (Parte 2)



O acaso, sobre o qual muito se fala, é simplesmente o nome dado à uma lei não reconhecida. Existem muitos planos de causalidade, porém nada escapa dessa lei.


Se você buscar em Aristóteles, nas tradições da Antiga Grécia, ou mesmo em qualquer outra antiga tradição, você também reconhecerá essa princípio. Ele é, portanto, o modo como a realidade funciona - e já foi percebido há muito tempo, em diversas culturas e gerações.


Não é um castigo divino (como muitos imaginam e dizem), é apenas ação e reação.





Qual é, então, o Segredo que Nunca lhe contaram sobre o Karma?


Uma vez ouvi uma analogia muito interessante, que cabe muito bem aqui: imagine um arqueiro, carregado de flechas em sua bolsa, e o arco em seus ombros.


Essa sua bolsa, pesada e cheia de flechas, representa o karma passado - os variados frutos que colhemos do que plantamos, frutos esses que constroem nossa realidade até o momento presente.


Só que, a cada instante, o arqueiro tem uma nova flecha em suas mãos. Ou seja, uma nova oportunidade de agir, de plantar aquilo que ele colherá no futuro. A partir do momento que o arqueiro estica o seu arco e lança uma nova flecha, não adianta correr atrás dela e corrigir o curso que ela tomou, ou mudar a posição do alvo escolhido.


Uma vez que agimos, o karma já está lançado e, inevitavelmente, colheremos os seus frutos. É simples.


Portanto, em relação ao passado, nós nada temos a fazer, a não ser aprender com ele. Não temos como mudar as atitudes que já tomamos, o que podemos fazer (para harmonizar a influência do karma em nossas vidas) é observar nossas ações passadas, aprender com cada uma delas e não nos julgarmos.


Se tomamos certa ação em certo momento era porque aquele era o momento de fazer tal coisa. O interessante é que, a cada segundo que passa, nós temos uma "nova flecha" em nossas mãos, uma nova oportunidade de plantarmos a semente daquele fruto que colheremos adiante.


O karma, então, não é algo negativo, é somente essa relação de causa e efeito. Na verdade, é algo lindo, porque ele nos dá a oportunidade de "lançarmos novas flechas" a todo instante.


Somos nós que escolhemos qual flecha lançaremos, em qual direção.


Você pode se perguntar: "Mas e se eu não lançar nenhuma flecha?", "E se eu não tomar nenhuma ação?". Você com certeza irá colher algo, já que a não-ação também é uma escolha.


Se você não fizer nada, no futuro você colherá os frutos por não ter feito nada. Esse é o grande segredo.


Precisamos limpar essa ideia errada que temos sobre o karma, entender que não é um castigo ou um fardo, mas sim uma colheita. E o melhor trabalho que podemos fazer é não nos lamentarmos pelas "flechas" que já lançamos, pelas sementes já plantadas.


Pelo contrário, podemos aprender imensamente com as nossas ações, sejam acertos ou erros. E precisamos trabalhar para cada vez termos ações ainda mais equilibradas, que consigam deixar o nosso saldo kármico positivo.





Reflexão



Se eu posso te deixar uma única mensagem nesse artigo, essa mensagem é: tem uma flecha em cada uma de suas mãos nesse exato momento, para onde você irá lançá-las? O plantio é sempre livre, mas a colheita é obrigatória.


Se quiser receber conteúdos de qualidade no conforto de seu celular e se tornar um #artetiposlover, participe de nosso grupo no Telegram. Participe desse grupo exclusivo, completamente gratuito. É só clicar no link abaixo e ficar por dentro de todas as nossas novidades.


Entre no grupo #artetiposlover no telegram: https://t.me/artetiposnews


Se inscreva e receba conteúdos em primeira mão.


Abraços fraternos,

Lucca Ferronatto

0 visualização
  • Facebook
  • YouTube
  • Grey Instagram Ícone

© 2019 Artétipos - MABEL C. DIAS CONSULTORIA EPP - Todos os direitos reservados.

| Fale conosco - contato@artetipos.com | Tel: (11) 9.4240-0110