O Mito da Arca de Noé: Uma Interpretação e Apresentação de Chaves Importantes



Essa é uma história conhecida pela grande maioria das pessoas e que “surfa” o inconsciente coletivo da humanidade.


O mito analisado aqui hoje é o da Arca de Noé.


Ele é muito importante pois pode nos entregar novas chaves de interpretação para o universo dos arquétipos e também pode nos ajudar a entender melhor a simbologia de textos antigos.


Para quem ainda não conhece a história, antes de interpretá-la, vou contá-la de um forma mais resumida.





A História em Si


Segundo a Bíblia, Deus escolheu Noé para construir um enorme barco - uma arca -, visando escapar da destruição do mundo que aconteceria através de uma grande inundação (o dilúvio).


Os seres humanos haviam se multiplicado muito, mas grande parte das pessoas não eram boas de coração.


Dessa forma, segunda a historia, Deus convocou Noé e pediu que o mesmo construísse uma arca e colocasse dentro dela um casal de cada espécie de animal existente no mundo, para que sobrevivessem ao dilúvio e pudessem repovoar a terra.


Além disso, como Noé era um homem bom de coração, Deus disse a ele e sua esposa que também entrassem na arca e ajudassem a repovoar o planeta quando a inundação passasse.


Um enorme dilúvio aconteceu e durou 40 dias. O barco foi parar nas montanhas e a terra demorou muito mais dias para secar.


Eles só puderam descer da arca e repovoar a terra após 370 dias.





Importantes Avisos!



Para interpretar esse importante mito, precisamos levar algumas coisas em consideração.


A primeira é que o que farei aqui é apenas uma interpretação da história, com base em meus estudos e meu ponto de vista. Não sou o dono da verdade.


E por se tratar de uma história bíblica, tenho que deixar muito claro que respeito todas as religiões e interpretações da realidade. Acredito que, quanto mais interpretações fizermos, melhor...pois crescemos todos em energia e informação.


O segundo ponto a ser levado em consideração é que as histórias presentes na Bíblia são mitos, alegorias e parece que, infelizmente, o ser humano moderno “divorciou-se” do simbolismo e de uma visão poética.


O que mais percebemos é uma humanidade preguiçosa, que não quer desenvolver complexidade e prefere receber um conhecimento mastigado por outra pessoa ao invés de pensar o que faz levar tais mitos e histórias bíblicas ao pé da letra - como se fossem histórias documentais.


Tais pessoa acabam por se separarem entre fanáticos pelo texto que acreditam ser verdade absoluta e pessoas que dizem ser tudo uma mentira, pois os textos bíblicos são contraditórios.


Não há caminho pelo meio. É óbvio que eles são contraditórios pois não são uma sequência cronológica exata de fatos, mas sim alegorias.


Alegoria é uma maneira figurada de representar algo, assim como uma metáfora. Portanto, se mudarmos os “óculos” com os quais enxergamos os mitos - principalmente os bíblicos - encontraremos incríveis chaves de interpretação para melhorar as nossas próprias vidas.


Ou seja, já estou partindo do ponto de que a história de Noé é puramente alegórica. Mesmo porque, para aqueles que não sabem, a arca de Noé não é uma história original da Bíblia.


Na verdade, encontramos o mesmo mito em textos mesopotâmicos que datam 1.750 a.C. Um exemplos é a Epopéia de Gilgamesh, na qual Utnapistim e sua esposa sobrevivem a uma grande inundação criando uma arca.


Para saber mais sobre a Epopéia de Gilgamesh e a história de Utnapistim, é só clicar no link abaixo para ser redirecionado(a) para o artigo completo que explica mais sobre esse assunto.


Quero ler o artigo A Epopéia de Gilgamesh: os Ensinamentos que podemos tirar de uma das Histórias mais Antigas da Humanidade


Portanto, a história não exclusiva ou inédita da Bíblia. Além de Noé e Utnapistim, você também encontra essa mesmíssima história no mito do inundação suméria de Ziusudra e também no mito de Deucalião e Pirra na mitologia grega.





Cada Mito é Uma Chave


Ou seja, é um mito e mitos são histórias fantásticas que carregam energia e informação de grande poder. Desenvolver a nossa interpretação e enxergar essas histórias como ensinamentos simbólicos ajuda-nos a encontrar chaves poderosas para nossas vidas e interpretar a realidade.


Cada mito é uma chave e cada chave pode ser utilizada em seu dia a dia e em sua experiência para encontrar o significado daquilo que acontece contigo. Dessa forma, você se torna capaz de identificar e cessar a vivência de certos problemas repetitivos ou então para, simplesmente, viver uma vida mais repleta de significado.


Existem duas chaves dentro da história de Noé.


A primeira delas é que, se formos buscar a origem da palavra “arca”, encontramos em latim traduções como “caixa, recipiente para guardar, baú, tesouro”. No grego, encontramos a palavra “arché” que significa princípio base.


Interpretando de forma simbólica, a arca é um baú que guarda o tesouro inicial, um recipiente onde se armazena a informação original, divina.


Não por acaso, é a mesma origem da palavra arquétipo. Um arquétipo é um modelo primordial, um tesouro que guarda virtudes divinas. É como uma pacote de energia e informação.


Você reparou que na história da arca, Deus pede a Noé que coloque um casal de cada espécie animal? Se você buscar no xamanismo, por exemplo, cada animal por si só tem uma energia arquetípica. Ou seja, cada animal carrega uma virtude em sua imagem, uma informação divina.


A águia carrega visão de longo alcance e capacidade alçar voos mais altos. O leão carrega a força e a coragem. As formigas carregam a capacidade de trabalhar em equipe e se comunicar com perfeição um com as outras. As abelhas, a capacidade de nutrir as plantas e os demais seres…


Noé, ao criar a arca, está na verdade criando - simbolicamente - um recipiente para guardar as virtudes divinas. E o mais interessante vem a seguir: ao mergulharmos na palavra “Noé” encontramos sua origem no hebraico e significando descanso, repouso, cuidado, longa vida.


Noé, portanto, simbolicamente é a entidade que mantém vivos e cuida dos arquétipos - e podemos ir mais fundo ao observarmos a relação entre o nome “Noé” e a palavra “noética/noese”.


Noética significa uma compreensão imediata pela mente. Ela vem de noese, que por sua vez significa tomar consciência.


Ainda há mais! Noé constrói a arca para sobreviver ao dilúvio, representado por uma enorme quantidade de água, uma enorme inundação. A água é uma clara representação do nosso inconsciente.


A arca de Noé, portanto, - sob a minha humilde interpretação - trata-se de uma alegoria que representa a importância de nós, seres humanos, sairmos da ignorância dos homens e navegarmos no inconsciente coletivo tomando consciência das virtudes arquetípicas.





Reflexão



Traduzindo, é permitirmos a jornada heróica de sairmos do mundo comum e medíocre de nossos problemas repetitivos, e despertar para virtudes como o amor, a comunicação, a justiça, o equilíbrio, o feminino, o masculino, o nutrir, o liderar, o curar e daí em diante…


Porém, para repovoar o nosso mundo interior com energias tão puras e transformadoras como são os arquétipos, precisamos - primeiro - navegar no dilúvio do nosso próprio inconsciente.


Para lhe ajudar a se compreender com maior profundidade e intensidade, você pode realizar o Mapa Arquetípico®, um verdadeiro mapa que mostra o caminho para você viver, da melhor forma, o arquétipo que lhe rege.


Além de lhe mostrar os arquétipos de podem ser trabalhados de uma forma melhor, a luz e a sombra que você está projetando sobre o arquétipo, dentre diversas outras informações.


Se quiser fazer seu Mapa Arquetípico®, acesse o link:

https://www.artetipos.com/euqueroomapaarquetipico


E se deseja receber mais informações sobre esse tema, se inscreva para receber conteúdos em primeira mão.


Abraços fraternos,

Lucca Ferronatto

134 visualizações0 comentário
  • Facebook
  • YouTube
  • Grey Instagram Ícone

© 2019 Artétipos - MABEL C. DIAS CONSULTORIA EPP - Todos os direitos reservados.

| Fale conosco - contato@artetipos.com | Tel: (11) 9.4240-0110