• Facebook
  • YouTube
  • Grey Instagram Ícone

© 2019 Artétipos - MABEL C. DIAS CONSULTORIA EPP - Todos os direitos reservados.

| Fale conosco - contato@artetipos.com | Tel: (11) 9.4240-0110

O Arquétipo da Justiça, do Discernimento e da Ética



Justiça é algo complicado de se falar ou conceituar nos dias atuais, com tanto partidarismo e dicotomias que nos rodeiam e tomam para si o que acham ser certo/justo ou errado/não-justo. Mas há uma forma de entender, com maior profundidade, sobre o que se trata a justiça e o que é ser alguém justo.


Essa forma é aprender mais sobre a consciência primordial que se relaciona à essa característica/esse conceito: o arquétipo do Justo. Algo que nos acompanha desde os mais antigos tempos e se faz presente desde então.


O arquétipo do Justo simboliza o discernimento que se deve ter entre o que é certo e o que é errado. Isso não se refere só à moral e à justiça dos homens (que pode ser falha) mas, principalmente, à ética e à justiça divina.


A moral muda conforme o contexto cultural, já a ética representa valores universais eternos e imutáveis, é aquilo que se faz quando ninguém está olhando. O mesmo acontece com as leis humanas: mudam conforme a época e o contexto cultural dos diferentes povos e civilizações.


Por sua vez, a justiça divina ou cósmica se baseia em leis que ordenam o funcionamento do Universo, fundamentadas na inteligência e no amor do Todo - que é pura consciência.





A Lei Universal da Causalidade



O Justo expressa a lei universal de causalidade que diz: “Toda ação gera uma reação de igual proporção”.


Essa lei é orientada não para a punição pura e simples, mas para a evolução do ser. Recebe-se sempre o perdão por uma falha cometida, mas é preciso reparar o dano em igual proporção. Leve o tempo que for preciso, a dívida deverá ser quitada.


O Arquétipo do Justo é dotado de inteligência, equilíbrio e imparcialidade. Tem grande capacidade de avaliação, análise e poder de decisão.


Para ele, todos somos iguais por princípio, pois somos Centelhas originadas da mesma fonte. O desafio está em permitir que todos conquistem essa condição na prática.





Aspectos Luz do Justo


As pessoas regidas por esse arquétipo costumam buscar a verdade das situações, ouvem as partes envolvidas e procuram agir com com imparcialidade. São vistas pelos demais como pessoas justas.


Gostam de corrigir qualquer situação que consideram injusta, procuram viver dentro da lei e da ordem e pesam ao máximo a consequência de seus atos. Desejam que seus direitos sejam reconhecidos.


São lógicas e sabem planejar, além de serem pontuais e cumprirem com sua palavra. São éticas, honestas e buscam o equilíbrio em suas vidas e nas situações do cotidiano.





Aspectos Sombra do Justo


Quando em desequilíbrio, as pessoas regidas por esse arquétipo podem fazer críticas destrutivas, serem preconceituosas e tendenciosas.


Passam a agir com autoritarismo, injustiça, intolerância e impaciência. Demonstram, além disso tudo, falso moralismo e orgulho exagerado.





Reflexão



A afirmação do arquétipo do Justo é: “Busco o meu centro para agir sempre com imparcialidade”, validando suas virtudes, que são a justiça, o equilíbrio e a ética.


Suas representações se fazem presentes em inúmeras culturas, nas mais diversas épocas e locais. As mais conhecidas são Salomão, Athena, Maat, Themis, São Miguel Arcanjo, Hator, Astréia e Xangô.


Gostou do artigo? Temos um vídeo no YouTube sobre ele também, não deixe de conferir!


Para você descobrir qual é o seu Arquétipo regente e como ativar outros Arquétipos, inclusive o do Justo, você pode fazer o Mapa Arquetípico®. Com este instrumento, você poderá ter conhecimento sobre os aspectos luz e aspectos sombras do seu arquétipo regente.


Se quiser fazer seu Mapa Arquetípico®, acesse o link:

https://www.artetipos.com/euqueroomapaarquetipico


E se deseja receber mais informações sobre esse tema, se inscreva para receber conteúdos em primeira mão.


Abraços fraternos,

Mabel C. Dias

231 visualizações