O Arquétipo da Caveira e a Ressignificação da Morte



Qual é o arquétipo que está por trás do símbolo da caveira? Você já parou para se perguntar isso? Porque será que ele inibe os neurotransmissores de poder e felicidade? Neste artigo será tratada a necessidade de ressignificarmos a morte.


Este é um assunto muito complicado para a grande maioria das pessoas, mas é preciso falarmos e conversarmos sobre: a morte. Falando de arquétipos - se você fizer uma rápida pesquisa - você perceberá que o símbolo da caveira é tido como um símbolo negativo, que atrai a morte, que diminui a nossa produção de neurotransmissores de felicidade e de poder.


Mas por que será que isso acontece?





O Símbolo da Caveira


O símbolo da caveira está relacionado ao arquétipo da morte, isso é inegável. Não há como eu lhe dizer aqui que podemos mudar um arquétipo porque isso simplesmente não existe.


Um arquétipo é o que é, é um modelo, uma ideia de algo que compartilhamos no inconsciente coletivo e que existe muito antes de nós. O arquétipo até evolui, mas não é possível mudar a essência dele.


Então, caso você entre em contato com o símbolo de uma caveira, no mesmo instante a sua psique o interpretará como morte. E é aqui que está o ponto crucial da motivo desse artigo ter sido feito.


O que existe debaixo da nossa carne? O que é exatamente igual entre todos nós? O fato de que vamos todos morrer. Podemos ser pessoas completamente diferentes - afinal o nosso ego, o que nos dá a sensação de "eu", se constrói de maneira diferente em cada um de nós, assim como a nossa aparência.


Só que, ao morrermos, o que sobre de cada um? O nosso esqueleto, ou seja, a nossa caveira. Repare que, podemos o mais diferentes possível um do outro, mas a nossa caveira é sempre a mesma.


É essa caveira - é esse esqueleto - que nos mostra que não temos escolha; você pode ser pobre, rico, índio, branco, negro, homem, mulher, gordo, magro...não importa, uma hora todos morreremos e o que sobrará será os nossos ossos.





Por que a Morte é considerada, pela maioria de nós, um Arquétipo Negativo?


Por que será que ao usarmos esse símbolo toda a nossa estrutura psíquica interpreta ele de uma forma negativa?


A morte significa o fim de um ciclo, uma mudança, uma transformação, uma renovação, o início de um novo ciclo - seja lá qual for esse ciclo. Ela significa um mergulho no desconhecido, e é claro que isso gera em nós medo e angústia (esses sentimento produzem em nós desespero e negativismo).


É por isso que, se você usar uma caveira, os seus neurotransmissores ficarão completamente abalados. O seu cérebro não quer a morte, o seu ego não quer deixar de existir.


O meu objetivo com esse texto é que possamos começar a ressignificar a morte. Quem disse que a morte é um processo negativo? Por que essa única coisa que temos em comum precisa ser interpretada por nós de uma forma tão ruim?


Morte é transformação. Se não começarmos a ressignificar esse evento, ficaremos completamente suscetíveis à manipulação de pessoas e instituições que conhecem o poder negativo que o símbolo da caveira pode causar.


Acredito que, a partir do momento que ressignificamos a morte e passamos a enxergá-la com serenidade, como um evento natural e - principalmente - positivo para nós, todos os grande poderes (como a mídia, a moda, a publicidade, e até mesmo as energias negativas que sabem como utilizar esse símbolo para mexer com a nossa psique) pararão de nos influenciar negativamente.


Esse símbolo deixará de conotar algo negativo e deixará de influenciar a nossa vida de maneira que nos leve cada vez para mais baixo.


Como já foi explicado, não tem como mudar a estrutura de um arquétipo, ele é uma energia muito poderosa. Assim como não há como mudar o fato de que iremos morrer. O que podemos mudar é a nossa percepção, a informação que mandamos para o nosso inconsciente.


A morte não precisa ser interpretada como algo negativo.





A Ressignificação da Morte


Espero que com este trecho do tarólogo Alejandro Jodorowsky - do texto "E se a Morte falasse" presente no livro O Caminho do Tarot - você se empodere e consiga passar pelo processo de ressignificação, e que o símbolo da caveira pare de inibir seus neurotransmissores e deixe de ser suscetível à este símbolo.


"Se você se apressar, me alcançará. Se frear, eu o alcançarei. Se andar tranquilamente, eu o acompanharei. Se girar, dançarei com você. Uma vez que nosso encontro é inevitável, enfrente-me agora mesmo! Sou a sua sombra interior, aquela que ri por trás da ilusão que você chama de realidade. Paciente como uma aranha, engastada como uma joia em cada um dos seus instantes, você compartilha comigo a sua vida -ou se você se recusar, não viverá na verdade. Você poderá fugir até o fim do mundo, eu estarei sempre do seu lado. Desde que você nasceu, sou a mãe que não cessa de lhe dar à luz. Alegre-se, então! Apenas quando você me concebe sua vida ganha sentido. O insensato que não me reconhece se aferra às coisas sem ver que todas me pertencem. Não há nenhuma que não tenha meu selo. Permanente impermanência, sou o segredo dos sábios: eles sabem que só podem avançar por meu caminho.


"Aqueles que me assimilam se tornam espíritos poderosos. Aqueles que me negam, tentando em vão fugir, perdem as delícias do efêmero: existem sem saber ser. Agonizantes, eles não sabem viver.


"As crianças não me imaginam. Se pudessem fazê-lo, deixariam de ser crianças, pois eu sou o fim da infância. Aquele que me encontra em seu caminho se torna adulto: ele sabe que me pertence. Devoro suas dificuldades, seus triunfos, seus fracassos, seus amores, suas decepções, seus prazeres, suas dores, seus pais, seus filhos, seu orgulho, suas ilusões, sua riqueza, devoro tudo. Minha voracidade não tem limite, devoro até mesmo seus deuses. Mas quanto ao último deles, ao autêntico, uma vez que as máscaras se dissolvem em minhas entranhas, quebro nele meus dentes. Em seu mistério indescritível, em sua presença ausente, em sua ausência presente, mato-me a mim mesma. Só engulo o ego. Cada um tem um gosto diferente, um mais fétido e amargo que os outros.


"Graças a mim, tudo se converte em pó e tudo se funde. Mas não pense que se trata de uma tragédia. Faço da destruição um processo de um esplendor extremo. Espero que a vida se manifeste até alcançar sua maior beleza, e apareço então para eliminá-Ia com a mesma beleza. Quando ela atinge o limite de seu crescimento, começo a destruí-Ia com o mesmo amor que foi empregado para construí-Ia. Que alegria! Que alegria incomensurável! Minha destruição permanente abre caminho para a criação constante. Se não há fim, não há começo. Estou a serviço da eternidade. Se você se entrega à transformação, você se torna senhor do momento efêmero, pois você o vê em sua intensidade infinita. É por minha causa que nasce o desejo nos ventres, nos sexos. O coito serve para conquistar a eternidade.


"Se você não tivesse corpo material, eu não existiria. Quando você se torna puro espírito, eu desapareço. Sem matéria, deixo de existir. Ouse então depositar seus ossos e sua carne na minha boca! Para triunfar, é preciso que você me dê tudo aquilo que, na verdade, sempre foi meu. Suas ideias, seus sentimentos, seus desejos e suas necessidades, tudo isso me pertence. Se você quiser guardar alguma coisa, por mínima que seja, você que não é nada nem nada possui, a perderá. Você perderá a eternidade.


"Entenda: em meu extremo negro r, sou o olho desse impensável que você poderia chamar de Deus. Sou também Sua vontade. Graças a mim você chega até Ele. Sou a porta divina: quem entra em meu território é um sábio, e quem não pode cruzar meu umbral conscientemente é uma criança medrosa coberta de sujeira. Em mim, é preciso entrar puro: desfaça-se de tudo, desfaça-se até mesmo do desapego, aniquile-se. Só quando você desaparecer, Deus aparecerá.


"Você quer a força? Ao me aceitar, você fica mais forte. Você quer a sabedoria? Ao me aceitar, você fica mais sábio. Você quer a coragem? Ao me aceitar, você fica mais corajoso. Diga-me o que você quer! Se você se tornar meu amante, eu lhe darei. Quando você sentir que faço parte do seu corpo, transformarei a concepção que você tem de si mesmo, eu o deixarei morto em vida e lhe darei o olhar puro dos mortos: dois furos abertos pelos quais Deus olha. O instante, então, se torna terrível, tudo se transforma em espelho e você se vê em todos os seres, em todas as formas, em todos os processos. Aquilo que você chama de 'vida' se torna uma dança de ilusões. Não existe diferença entre a matéria e o sonho.


"Pare de tremer, pare de temer, alegre-se! A vida, ainda que irreal e efêmera, no instante revela sua maior beleza. Ao me dar o seu olhar, você compreenderá enfim que estar vivo é um milagre.


"Não gosto que me encontrem antes da hora. Desejo que me chamem no momento preciso em que se compreende aquilo que sou. Se me apressam com suicídio, não concedo sabedoria nenhuma, pois me travestem de vulgar destruição. Não sou uma infelicidade absurda, possuo um significado profundo, sou a grande Iniciadora, a Mestra impalpável oculta sob a matéria. Quando me solicitam de maneira insensata, me enfureço, fazem-me agir contra minha vontade. Apenas aqueles que chegam até mim com plena consciência me concedem o gozo supremo. Mas a maioria dos seres, ignorantes, vêm a mim pela guerra, pelo crime, pelo vício, pela doença, pelas catástrofes. Raros são aqueles que atingem esse estado de consciência pura onde eu me torno o apogeu da realização. Esses sempre me reconhecem, enquanto os outros, sou eu quem os surpreende. Aquele que se resigna, compreende e aceita ser minha presa, vive com facilidade, na liberdade e na alegria, confiante diante das agressões, sem pesadelos, realizando seus desejos: quando se perde a esperança, perde-se também o medo.


"Não me estenda a mão, pois imediatamente eu a farei apodrecer. Ofereça-me a sua consciência. Desapareça em mim para enfim ser a totalidade!"





Reflexão


Espero que esse texto tenha te ajudado a perder um pouco o medo da morte, a perde um pouco do receio de observar um símbolo como a caveira. A ideia é que paremos de permitir que símbolos negativos mexam de uma maneira tão profunda com a nossa psique que, grandes mídias e meios de comunicação, consigam nos manipular.


O objetivo aqui não é dizer que a caveira é um arquétipo positivo, porque sabemos que esse símbolo nos traz a sensação de morte, a emoção e a percepção da morte. Mas sim que ressignifiquemos esse evento e o vejamos como uma passagem que todos realizaremos, independente da nossa religião, ou de crença, ou de dogmas.


Esse momento acontecerá e precisamos aprender a lidar com ele de uma maneira melhor.


Queremos que você conheça a fundo as características dos arquétipos: seus aspectos luz, seus aspectos sombra e, finalmente, comece a identificar quais deles regem sua vida desde o seu nascimento ou quais deles você gostaria de desenvolver daqui pra frente.


Os 22 principais arquétipos são modelos psíquicos que os seres humanos vivem, são guias interiores.


Neste espaço vamos trabalhar além dos símbolos, vamos entender quais são os arquétipos de base que influenciam a sua mente e quais pensamentos, emoções, sentimentos e atitudes eles despertam em você, com todos os resultados práticos que advém disso.


Se você quiser conhecer cada um desses arquétipos e, principalmente, aplicar na prática, todo esse conhecimento na sua vida, inscreva-se no nosso canal do YouTube e acompanhe os vídeos que já postamos e ainda postaremos!


E se quiser fazer seu Mapa Arquetípico®, acesse o link:

https://www.artetipos.com/euqueroomapaarquetipico


E se deseja receber mais informações sobre esse tema, se inscreva para receber conteúdos em primeira mão.


Abraços fraternos,

Lucca Ferronatto

462 visualizações
  • Facebook
  • YouTube
  • Grey Instagram Ícone

© 2019 Artétipos - MABEL C. DIAS CONSULTORIA EPP - Todos os direitos reservados.

| Fale conosco - contato@artetipos.com | Tel: (11) 9.4240-0110