Arquétipos e Arcanos: Qual a relação entre as consciências primordiais e as cartas do Tarot?


Muitas dúvidas surgiram sobre a relação entre os Arquétipos e os Arcanos do Tarot. Buscando sanar essa questão de uma forma fácil de se entender, vamos explicar aqui:

• O que são os Arcanos do Tarot;

• O que são Arquétipos; • Qual a diferença entre eles.


Mas, antes de qualquer coisa, precisamos entender o que é o Tarot, onde surgiu, seus usos, entre outras informações importantes.


Estudos recentes mostram que os primeiros baralhos de Tarot como conhecemos hoje podem ter surgido por volta de 1400 na Itália. Mas a verdade é que não há como saber sua verdadeira origem. O Tarot - (Baralho formado por 78 cartas que chamamos de arcanos) - é resultado da junção de vinte e duas imagens numeradas, chamadas de carte da trionfi (cartas de trunfos) ou Arcanos Maiores, com as outras cinquenta e seis cartas (quatorze de cada naipe: copas, espadas, ouros e paus), chamadas de Arcanos Menores.


Com o passar do tempo, as cartas se tornaram alvo das sociedades esotéricas, que transmitiram pouco a pouco seus preceitos e ideologias a partir de variadas reinterpretações das imagens clássicas medievais. Foram essas sociedades esotéricas que abriram o caminho para os estudos da divinação e do autoconhecimento, que até hoje são desenvolvidos e aprimorados.


Muito importante, porém, é que fique claro que o Tarot é um instrumento livre, não pertencendo a nenhuma crença, dogma ou religião. Portanto, é uma ferramenta que pode ser utilizada por todos, sem exceção.





Como funciona o Tarot?

O Tarot funciona baseado no princípio da sincronicidade. Isso quer dizer que: as respostas se manifestam através da escolha de cartas aleatórias de um baralho, seja o sorteio feito pessoal ou virtualmente, e o resultado é exatamente a mensagem que precisamos receber. Não por acaso, mas por um significado profundo.


Ao contrário do que muitos pensam, a tiragem das cartas não resolve seus problemas em um passe de mágica. Essa arte, na verdade, oferece estratégias para alcançar seus objetivos e reconhecer seus erros em determinadas circunstâncias. É um processo de autoconhecimento que nos revela sim tendências futuras, mas nunca uma verdade absoluta.


Uma leitura de Tarot apresenta previsões de uma maneira simbólica, assim como num sonho. Além, é claro, de fazer do aconselhamento uma oportunidade de trilharmos o melhor caminho de cada questão levantada.


Mantendo em mente que o Tarot possui uma estrutura simbólica, podemos perceber que ele funciona, essencialmente, como uma representação das situações vividas por nós, e muitas vezes de nós mesmos como seres humanos. Mais do que isso, o Tarot também é um ser, e podemos encontrar em sua jornada um espelho para a nossa própria jornada da vida.


Tendo como foco seu uso orientativo, ao interpretar as cartas, podemos associá-las à estágios nos quais nos encontramos dentro da jornada de nossas vidas. Desta forma, através do Tarot aprendemos caminhos mais luminosos para resolvermos problemas específicos de nossas vidas e tomarmos decisões mais assertivas.


Agora que já entendemos um pouco mais sobre o Tarot, a sua origem e seu funcionamento, vamos ao assunto principal: os Arcanos.





Os Arcanos


O Tarot é composto por 78 cartas, que normalmente chamamos de arcanos. A palavra “arcano” significa mistério, segredo. Guarde bem essa definição. Esses arcanos são divididos em dois grupos:

  • 22 Arcanos Maiores;

  • 56 Arcanos Menores.


Os Arcanos Maiores são 22 imagens arquetípicas presentes no imaginário coletivo da humanidade. Falam sobre a jornada da nossa alma. Cada um dos arcanos representa uma fase da jornada de nossas vidas.


Já os Arcanos Menores falam sobre aspectos mais "mundanos" de nossas vidas. Suas 56 cartas são distribuídas entre os quatro naipes:


  • o de Ouros;

  • o de Espadas;

  • o de Copas;

  • e o de Paus.


O Naipe de Ouros, fala sobre nossa jornada material, o de Espadas, sobre nossa jornada intelectual, o naipe de copas fala sobre nossa jornada emocional, e o de paus sobre a jornada criativa da libido.


Cada um dos quatro naipes possui dez arcanos numerados e quatro arcanos com figuras da antiga corte medieval: o Valete (ou Pajem), a Dama (ou Rainha), o Rei e o Cavaleiro.


Todos esses símbolos têm como objetivo facilitar o nosso processo de autoconhecimento, de expansão da consciência e no processo de individuação.





A jornada simbolizada nos Arcanos Maiores

As 22 cartas presentes nos Arcanos Maiores são numeradas, do zero ao vinte e um. A numeração clássica dela começa com a carta do Louco (carta zero), demonstrando a jornada desse arcano em direção à totalidade e à realização plena (carta 21).


Da mesma forma como na jornada da vida humana, na qual nascemos e nos desenvolvemos rumo à realização e plenitude de acordo com nossas escolhas e com as circunstâncias externas, estas 22 cartas do Tarot constituem esse processo vivido por todos nós.


O Tarot nos apresenta nossos aliados durante a jornada, nossas dificuldades e as recompensas da vida após passarmos por todas essas etapas (exatamente como na Jornada do Herói. Você pode saber mais sobre ela no link abaixo).



Quero ler o artigo sobre a Jornada do Herói





E os Arquétipos?


Entende-se que Arquétipos são consciências, energias-base, ideias herdadas do inconsciente coletivo, da humanidade como um todo.


Eles são considerados ideias primordiais. Ou seja, ideias que nasceram antes das coisas manifestas. Os Arquétipos existem na profundidade da mente humana - do inconsciente coletivo como nomeou o psiquiatra Carl Jung - com os quais não conseguimos interagir de maneira direta, mas que se manifestam através de diversas situações de nossas vidas.


Os Arquétipos podem se revelar nos mitos, nas histórias que os povos contam desde o início da humanidade, nos contos de fadas, nos contos de heróis, nos rituais religiosos e, nitidamente, nos arcanos do Tarot.


Podemos observar também a influência dos arquétipos em todos os nossos 5 sentidos (em odores, gostos, sabores, paladar ou tato). Além de os perceber nos mais diversos tipos de arte (na escultura, na pintura, no cinema, na literatura, na dança) e até mesmo dentro dos nossos sonhos.


Para entender com muito mais detalhes os Arquétipos, indico que leiam o artigo “A Força Oculta dos Arquétipos” da Dra. Mabel C. Dias.


Assim como os Arcanos no Tarot, os Arquétipos se comunicam com o nosso consciente e inconsciente através de símbolos.


Cada arcano, portanto, representa um determinado arquétipo.


Os símbolos encontrados nas cartas são carregados de significados, mexem com nosso sistema límbico (sistema emocional) nos causando determinada emoção.


Algo que não podemos nos esquecer sobre este tópico: um símbolo nunca é igual para todo mundo. Portanto cada arcano vai gerar determinada interpretação dependendo de quem o observa.





Qual a relação entre Arcanos e Arquétipos, então?

O Tarot possui uma força arquetípica muito grande. Ele é um caminho de iluminação. Acreditamos que cada símbolo representado em cada carta do Tarot tem o poder de mexer com o nosso inconsciente, além de interagir conosco. Eles nos geram inspirações, sejam para o nosso dia a dia, para nossa semana...enfim, para a nossa vida.


O que fazemos com as cartas é interpretar os significados e situações arquetípicas que serão de enorme valor para as nossas vidas. Elas são a porta de entrada para trabalharmos nossos complexos internos, nossas sombras profundas e também funcionam para indicar caminhos. Os arcanos do tarot, na verdade, são uma das principais maneiras de nos conectarmos aos arquétipos.


Em nosso trabalho, os 22 principais arquétipos escolhidos como base de estudo da jornada da vida humana foram inspirados nas 22 cartas dos Arcanos Maiores.


Cada um desses 22 arquétipos possuem virtudes/qualidades que, se forem trabalhadas e desenvolvidas em nós, nos ajudarão a passar com facilidade e sabedoria por qualquer situação que surgir em nossos caminhos.





Reflexão


Esperamos que essa dúvida tenha sido esclarecida! Em resumo, podemos dizer que os arcanos do Tarot são representações dos arquétipos. Se mergulharmos ainda mais fundo, veremos que eles são, na verdade, portais para a nossa conexão com essas energias ancestrais.


Nossas atividades, tanto em relação aos Arquétipos quanto ao Tarot, são resultados de muito estudo e paixão de proporcionar este conhecimento para o maior número de pessoas possível.


Ajudar no processo de individuação, iluminação e expansão de consciência é o nosso propósito. Ampliar o caminho para que seja possível viver uma vida de plenitude, equilíbrio e conexão com o Todo.


E é com este intuito que disponibilizamos tanto o Mapa Arquetípico quanto a Tiragem de Tarot!


Para saber com mais exatidão como o Mapa Arquetípico funciona e quais aspectos são por ele abordados, você pode ler o artigo que informa isso com mais detalhes.


Quero ler o artigo “O que é um Mapa Arquetípico?”


Se você quiser fazer a sua Tiragem de Tarot, acesse o link e mergulhe neste novo mundo de autodescobertas.


Venha fazer a Tiragem de Tarot conosco!


Abraços fraternos,

Amanda Nogueira Vilela


0 visualização
  • Facebook
  • YouTube
  • Grey Instagram Ícone

© 2019 Artétipos - MABEL C. DIAS CONSULTORIA EPP - Todos os direitos reservados.

| Fale conosco - contato@artetipos.com | Tel: (11) 9.4240-0110