A Relação entre os Seus Órgãos e as Suas Emoções



Você sabia que sentir muita raiva pode ser um sinal de que o seu fígado não está bem?


Existe uma curiosa relação entre as nossas emoções e os principais órgãos do nosso corpo, e é sobre ela que trataremos neste artigo.


Desde 1995, quando o psicólogo Daniel Goleman publicou o seu livro Inteligência Emocional, o assunto sobre a importância de aprendermos a lidar com nossas emoções antes que elas nos causem problemas de saúde tem despontado.


Mas esse assunto já é conhecido há milhares de anos pela Medicina Tradicional Chinesa, que considera as emoções uma das três principais causas de adoecimento - juntamente com o clima e a alimentação inadequada.


Na visão da Medicina Tradicional Chinesa (que inclui a acupuntura como uma técnica de harmonização das energias, prevenção e tratamento de doenças), temos cinco órgãos principais que são responsáveis por determinadas funções corporais, mas também estão relacionados com aspectos da nossa mente.


Quer saber quais são? Continue lendo o artigo!





Os 5 Principais Órgãos


Os principais órgãos da Medicina Tradicional Chinesa são:


  • rim;

  • fígado;

  • coração;

  • baço-pâncreas;

  • e pulmão.


Cada um deles representa um dos cinco elementos. O rim representa o elemento água, o fígado o elemento madeira, o coração pertence ao elemento fogo, o baço-pâncreas à terra e o pulmão representa o elemento metal.


Cada um dos órgãos está envolvido com diferentes aspectos da mente. Se o órgão está funcionando bem, as emoções relacionadas a ele estão equilibradas. Se as emoções são intensas, ou ficam contidas por muito tempo, isso afeta diretamente a função do órgão correspondente.


Vamos ver como isso funciona?





O Rim


O rim está relacionado com o medo. O medo é uma emoção necessária para nos proteger em situações de ameaça, ele nos ajuda a identificar perigos e nos adaptar corretamente ao ambiente ou situações externas.


O medo aumenta o tempo entre a intenção e a ação. Portanto, ele modera a nossa impulsividade.


Mas quando em excesso - em situações de pavor ou pânico - o medo impede totalmente a ação, paralisando-nos e tirando a nossa vontade de agir. O medo, quando muito intenso ou prolongado, agride a energia do rim causando problemas urinários, ósseos, auditivos, fobias e queda da autoestima.


O contrário também acontece. Quando a energia do rim não está boa, devido à desgastes físicos ou pela idade avançada, a pessoa tende a sentir-se mais insegura.





O Fígado


Ele está relacionado à raiva. A agressividade, quando é construtiva, é uma emoção necessária para a nossa sobrevivência e adaptação ao meio - impulsiona-nos a agir, a construir e crescer.


Já a raiva e o ódio são manifestações de extrema agressividade que geram a desarmonia energética do fígado, levando a uma obstrução do fluxo de energia por todo o corpo e mente da pessoa.


Quando isso acontece de forma intensa ou contínua, causa irritação, inflamações, dores de cabeça, sensação de aperto no tórax, gosto amargo na boca, distensão abdominal e desmaios.


Da mesma forma, quando o fígado não está bem por razões como a ingestão de bebidas alcoólicas, a pessoa tende a sentir mais raiva.





O Coração


O coração se relaciona com a alegria, não a alegria normal mas sim em excesso - o que nós chamamos de euforia.


Relaciona-se também com a ansiedade, uma expectativa normal pelo o que virá, mas quando se torna excessiva ou prolongada, causa alterações na energia do coração. Isso pode levar a problemas de pressão alta, de coração, insônia, desordens mentais (como mania e depressão).


Da mesma forma, quando a energia do coração não está harmoniosa por razões como falta de atividade física, a pessoa tende a sentir mais ansiedade e falta de alegria.





O Baço-Pâncreas


O baço-pâncreas está relacionado com a preocupação. Os pensamentos fixos e repetitivos levam à obsessão, à rigidez e à perda de flexibilidade na pessoa.


A preocupação e o excesso de ideias fixas agridem a energia do baço, e quando isso acontece repetidamente podemos demonstrar má digestão, dores de estômago, mente confusa, falta de foco e aumento de peso.


Da mesma forma, quando a energia do baço-pâncreas está comprometida por razões como alimentação rica em açúcares e produtos refinados, a pessoa tende a ser mais preocupada.





O Pulmão


Ele se relaciona com a tristeza. A tristeza é uma emoção que nos possibilita entrar em contato com a limitada condição humana e elaborar melhor as nossas perdas pessoais e as separações.


Quando a tristeza é profunda e prolongada, atinge a energia do pulmão que nos leva à depressão e até problemas respiratórios também.


Da mesma forma, quando a energia do pulmão está comprometida por razões como o hábito de fumar, a pessoa tende a ficar mais triste e melancólica.





Reflexão



Como você pode ver, é muito importante buscar o equilíbrio das emoções - para assim ter

bem-estar, saúde física e mental. Esse equilíbrio pode ser alcançado de diversas formas.


No meu entender, a acupuntura e o autoconhecimento são fundamentais nesse processo.


E uma das formas de se obter o autoconhecimento, de maneira profunda e densa, é através do Mapa Arquetípico®. Com ele você descobrirá qual/quais é/são o(s) arquétipo(s) que lhe rege(m) e os aspectos-luz e sombra que estão em funcionamento dentro de você.


O Mapa Arquetípico® é um verdadeiro mapa que mostra o caminho para você viver, da melhor forma, o arquétipo que lhe rege.



Se quiser fazer seu Mapa Arquetípico®, acesse o link:

https://www.artetipos.com/euqueroomapaarquetipico



E se deseja receber mais informações sobre esse tema, se inscreva para receber conteúdos em primeira mão.


Abraços fraternos,

Dra. Mabel Cristina Dias

81 visualizações
  • Facebook
  • YouTube
  • Grey Instagram Ícone

© 2019 Artétipos - MABEL C. DIAS CONSULTORIA EPP - Todos os direitos reservados.

| Fale conosco - contato@artetipos.com | Tel: (11) 9.4240-0110