• Facebook
  • YouTube
  • Grey Instagram Ícone

© 2019 Artétipos - MABEL C. DIAS CONSULTORIA EPP - Todos os direitos reservados.

| Fale conosco - contato@artetipos.com | Tel: (11) 9.4240-0110

A Cura por meio da Arte



O que é a arte? Como essa incrível atividade humana pode nos fazer manifestar arquétipos e, até mesmo, curar a nossa vida e nossa mente?


A palavra arte deriva da palavra latina "agere", que significa agir. Arte então - segundo a nossa estrutura linguística - significa ação, atividade. O artista portanto, seguindo esse raciocínio, é alguém que age, ele é um agente.


Mas um agente do que? Que ação é essa? A ação de trazer algo que está dentro para fora, de expressar informações que estão presentes no nosso inconsciente. Podemos dizer, então, que o artista é um agente da expressão.


"Mas o que a arte tem a ver com arquétipos?" você pode estar se perguntando. É aqui que se inicia a discussão de hoje.


Para chegarmos ao entendimento de como a arte pode curar a psique do ser humano, precisamos primeiro entender o que é a arte. Para entendermos o que é a arte é necessário, primeiro, compreender qual é a natureza do Universo.





Entendimento da Arte através da Natureza do Universo


Foi tomado como base o livro "Filosofia da Arte - A Metafísica da Verdade revelada na Estética da Beleza" de um filósofo brasileiro incrível, chamado Huberto Rohden. Seu entendimento não é tão simples, apesar de ser fácil de o achar nas livrarias e sebos.


Ao abrirmos esse livro damos de cara com uma informação muito interessante. Rohden diz que a filosofia da arte só pode ser compreendida como parte integrante da natureza do Universo. Ou seja, se almejamos entender o que é a arte - qual é a sua função, e como interagimos com os arquétipos através dela - e, principalmente, como ela nos torna um canal divino, precisamos primeiro pensar e compreender a natureza do Universo.


O Universo, como a própria palavra diz, é a unidade e a diversidade, é o UNO se manifestando em DIVERSOS. Você vai facilmente compreender isso se separar a palavra em duas partes: UNI + VERSO. É portanto uma unidade, o Todo, Deus (seja lá como você prefere chamar) que se manifesta através de diversidades (eu, você e todos os outros seres existentes).


Agora reflita sobre isso, a totalidade manifestada na diferença e na existência. Unidade sem diversidade é monotonia e diversidade sem unidade é um caos profundo. Já a unidade com diversidade resulta em harmonia. O Universo é um sistema de harmonia e equilíbrio dinâmico.


O ser humano é um microuniverso, um microcosmo feito à imagem e semelhança do Todo, do macrocosmo. Se você não acredita que somos parte de um Todo, que somos unidades individuadas de consciência manifestadas através de algo maior (seja o Cosmos, o Universo, o Todo ou Deus) será bem difícil você entender o que está sendo dito aqui.


A natureza do Universo é a base autêntica para a filosofia da arte. E se a arte é uma ação e o artista é um agente (como dito anteriormente), a arte é portanto uma manifestação divina em cada um de nós.


A arte é a expressão do Todo que existe dentro de cada indivíduo. Como então a arte pode curar a nossa psique?





A Cura da Psique através da Arte


No livro "O Homem e seus Símbolos", de Carl Jung, é dito claramente que tudo que vivemos - querendo ou não - é jogado para o nosso inconsciente. E é exatamente no inconsciente que residem os nossos complexos.


Se você possui algum problema, alguma dificuldade, a única saída para se livrar dele(a) é explorando o seu inconsciente. Mas é muito difícil que as pessoas explorem o seu inconsciente porque ele não se comunica através da linguagem convencional, com a qual estamos acostumados a dialogar.


O inconsciente se expressa através de símbolos, ele fala através de uma linguagem simbólica, pictórica, metafórica. A única maneira de o entender é falando a mesma linguagem que ele.


E qual é essa linguagem? É a arte. A linguagem artística, dos sonhos e dos símbolos. É praticando a arte e buscando compreender a linguagem dos nossos sonhos que vamos conseguir expressar os nossos complexos, tirá-los do fundo de nossa sombra e resolvê-los.





O Consciente e os Inconscientes


Podemos dividir a nossa psique em duas partes:


  • acima temos o Consciente: tudo o que conhecemos, que está na superfície de nossas mentes;

  • abaixo temos o Inconsciente: centenas de vezes maior que o consciente.


É exatamente no inconsciente que se encontram nossas memórias, nossos desejos sexuais reprimidos, os nossos complexos, as nossas experiências esquecidas. Para Freud o inconsciente era basicamente isso, somente um depósito de complexos, memórias e experiências.


Para Jung, entretanto, havia uma camada mais abaixo, chamada de Inconsciente Coletivo. É nele que estão nossos instintos e os arquétipos (que são energias, consciências que nos influenciam a todo instante).


Quer saber mais sobre essas consciências? Leia o artigo completo sobre os Arquétipos.


No inconsciente coletivo compartilhamos experiências arcaicas com toda a humanidade. Isso foi o mais longe que a psicologia ocidental chegou, enquanto os orientais (há milhares de anos) já falavam sobre essa camada mais profunda da psique - chamada também de Inconsciente Cósmico.


É uma camada tão, mas tão profunda que registra tudo que existe, existiu e as possibilidades que existirão. É o que chamam de Campo Akáshico. E o que é esse inconsciente cósmico senão a nossa ligação com o Todo, com o Divino?


Se pararmos para perceber, a maioria de nós está buscando uma experiência divina fora, buscando se conectar, buscando se religar (de onde surge a palavra "religião", que significa religar, buscar algo externo).


Mas considerando tudo o que foi dito, de que somos uma manifestação do Universo e levar em consideração também de que quanto mais descermos em nosso inconsciente iremos mais do que puramente entender, começaremos assim a sentir que somos realmente uma consciência individualizada.


Sendo a arte uma ação, através dela podemos ter acesso ao nosso inconsciente e permear o inconsciente coletivo, manifestando os arquétipos. É através dela que podemos chegar ao inconsciente cósmico nos conectarmos com o Divino que está dentro de cada um de nós.


A espiritualidade está dentro de nós, e vamos começar a mergulhar no espírito quando mergulharmos dentro de nós mesmos. A arte é a ferramenta para que isso aconteça. Nosso ego (a sensação que temos do que somos e a sensação que temos da realidade) é algo finito, pois está em nosso consciente. Mas a nossa essência é infinita, já que ela é a fonte que nunca cessa.


Temos este artigo sobre o ego e a essência, caso você se interesse mais sobre o assunto.


Nós somos o canal dessa fonte (da essência) e podemos assim levar a harmonia para todos os outros seres e para o mundo.





Como ser um canal?


Podemos ser um canal através da ação, ou seja, através da arte. É por meio dela que podemos dissolver os nossos complexos, deixar de lado a racionalidade do consciente e nos ligarmos à intuição do inconsciente, entender a linguagem de nossos sonhos e dos arquétipos.


É importante que você entenda como arte o processo de manifestar o Todo em nós. A arte não é só pintura, arte é dança, música, poesia, colagem, grafite, teatro, cinema, circo...arte é tudo que nos permite manifestar o nosso inconsciente sem a interferência do ego.


A arte é um processo catártico, originado da palavra "catarse", que significa purificação. Quanto mais praticamos a arte, mais nos purificamos da racionalidade, da agressividade, do caos, da monotonia; e mais nos alinhamos à harmonia do Universo, porque assim estaremos mais ligados à fonte.


Acredito que o verdadeiro artista deve ser capaz de ver o infinito em qualquer finito. Para onde olhar, deve conseguir enxergar a essência, o que é infinito.





Reflexão


Se pararmos para observar, todo autoritarismo no mundo insiste em taxar a arte como coisa de gente desocupada, como vagabundagem, porque arte é conexão e canalização do Todo. Sendo assim, estruturas autoritárias de poder não nos querem conectados pois a conexão com o Divino gera poder - não para o nosso ego e sim para o Todo, para a harmonia e para o equilíbrio universal.


Autoritarismo pressupõe desequilíbrio, um lado pendendo. A arte é a nossa ferramenta para combater qualquer tipo de autoritarismo, é um processo indispensável para que nos curemos deste enorme buraco no qual a humanidade se encontra.


As pessoas se encontram cheias de sombras e não as resolvem. Ao virem à tona, essas sombras faz com que as pessoa se comportem de forma agressiva e abusiva, e para melhorar isso é necessário que todos nós mergulhemos em nosso inconsciente.


Você deve buscar a sua própria arte e entender os símbolos do inconsciente. Não se limite por achar que não sabe fazer nada ou não é um artista, pois a arte não é sobre o ego ou o belo, mas sim sobre a pura expressão.


Permita-se expressar os seus símbolos, cantar, rabiscar, dançar...permita-se dissolver as neuroses criadas pela sociedade em você, para cada vez mais se conectar ao inconsciente, buscar informação, limpar suas sombras e conseguir - coletivamente - restaurar a harmonia do planeta.


A arte se faz presente quando não a vida não consegue responder às nossas perguntas.


Abraços fraternos,

Lucca Ferronatto

79 visualizações