5 Maneiras para Ativar um Arquétipo


Uma das perguntas que mais recebemos é: “Eu já sei qual o arquétipo eu estou vivendo, mas como eu faço para ativar outros arquétipos em mim, na minha casa ou no meu negócio?”


Pois é, depois que a pessoa entende que trabalhar com arquétipos lhe dá poder, começa aí a corrida para “usá-los” de todas as formas possíveis.



Neste artigo você encontrará:

1. Um "resumão" sobre os Arquétipos;

2. Esclarecimento de alguns pontos importantes sobre a ativação de arquétipos, para que você entenda de uma vez por todas o que são e o que pode ou não pode ser feito com Arquétipos;

3. O passo a passo para você fazer essa ativação e ter a melhor experiência possível com essas consciências primordiais.



Se você já nos acompanha e conhece o nosso projeto - Artétipos, a arte do inconsciente - sabe que o assunto principal aqui são os arquétipos em suas diversas manifestações.


No meu entender, após 40 anos de estudos e vivências, esse é o conhecimento mais importante que você pode ter, se quiser dar um salto de consciência, com tudo o que isso representa: mais prosperidade, saúde, alegria, melhores relacionamentos, e sobretudo, mais liberdade.


Quando eu falo em liberdade, estou me referindo a liberdade para criar uma vida melhor, e principalmente a liberdade de ser quem você realmente é, sem máscaras, expressando todos os seus potenciais, sendo quem você veio para ser quando desembarcou nesta experiência na Terra....


Caso você esteja chegando agora, e queira realmente ter um primeiro contato com um tema tão importante quanto este, eu recomendo que depois acesse o link abaixo para ler um artigo completo de iniciação ao tema.


Quero ler o artigo “A Força Oculta dos Arquétipos”


De qualquer forma, darei um resumão sobre o assunto, para que você consiga entender o que se pode fazer com arquétipos.


Vamos lá?





101 dos Arquétipos


Os Arquétipos podem ser definidos de diversas maneiras, conforme a visão de mundo que se tem. O assunto “Arquétipos” é vasto como o mar, e nós podemos navegar nesse mar de muitas formas, algumas mais rápidas, outras menos, dependendo do tipo de embarcação que nós estamos usando.


Por exemplo:


  • os filósofos usam um tipo de embarcação (a razão e a reflexão);

  • os psicólogos usam outro tipo de barco (a observação do comportamento humano e a prática clínica);

  • os neurocientistas pegam outra embarcação (o método científico, que consiste em formular uma teoria e tentar prová-la através de experimentos laboratoriais controlados).

  • nós, os metafísicos, usamos outro tipo de barco (que é conhecimento noético, aquele que chega à nossa mente em blocos através da inspiração, da intuição e do sentir).

O mar é o mesmo, mas a qualidade da viagem varia conforme o tamanho e autonomia do barco. Quanto maior a embarcação, menos limitada ela será, mais confortável a viagem, mais aberta a visão. Você é que escolhe como quer navegar e o que deseja tirar desta viagem.

Vamos ver agora a visão metafísica sobre os Arquétipos, que é uma das que usamos aqui neste trabalho:



1. O que são Arquétipos?


Os Arquétipos são consciências, que tem energia e informação, assim como tudo o que existe. Cada arquétipo carrega em si uma energia de altíssima vibração e um tipo de informação, e se expressa no nosso mundo e em nós, de diferentes maneiras.

A mente humana não consegue conceber um Arquétipo na sua totalidade, mas procure pensar nele como um programa ou software, aquele conjunto de instruções que são dadas a um computador, para que ele execute uma tarefa, e chegue num determinado resultado. Os Arquétipos são como programas, aplicativos, só que vivos e conscientes.



2. De onde vem os Arquétipos?


Os Arquétipos são as primeiras emanações da Fonte criadora, e eles vem de dimensões superiores e mais sutis da realidade.


Portanto, os Arquétipos não são deste mundo, mas nos influenciam diretamente, porque estão implantados em nossa mente individual e coletiva, podendo estar ativados ou não.



3. Para que servem os Arquétipos?


Os Universos nascem do Caos; caos não no sentido de confusão ou desordem, mas sim aquele estado sem forma ou limite, onde tudo é possível.


A Fonte criadora emana e implanta os Arquétipos com o objetivo de manifestar e organizar os Universos. Isto é, os Arquétipos “arrumam a casa”, colocam ordem no caos. Os Arquétipos seriam as ideias primordiais que dão origem a um projeto. É como a planta arquitetônica que serve como base para construir uma casa.


Além disso, os Arquétipos permitem que consciências individualizadas como você e eu, tenhamos todo tipo de experiência possível, através da vivência de diferentes arquétipos. Os Arquétipos são muito poderosos e carregam energia e informação de alta frequência vibratória, as quais nós chamamos de virtudes.


Virtudes são qualidades de alto valor moral e espiritual que nos impulsionam para o crescimento, que nos permitem sair da condição de homens normais para nos tornarmos pessoas sábias e autorrealizadas.


Por exemplo, você pode viver através dos arquétipos qualidades universais como a Justiça, a Coragem, a Prosperidade, o Amor, a Verdade, a Sabedoria, a Liderança, e muitos outros que são essenciais para a expandir sua consciência e desenvolver sua personalidade de forma plena.


E qual a importância de nós termos o maior número de experiências possível? É simples, quando cada pessoa (que é uma parte do Todo) interage com outras, em infinitos cenários e combinações, isso faz com que o Todo receba mais informação e cresça.


Absolutamente TUDO o que nós vivemos agrega informação ao Todo e fica armazenado permanentemente em um campo de memória.

Sintetizando: os arquétipos colocam “ordem na casa” e estimulam a expansão da consciência de cada indivíduo e do Todo.



4. Como os arquétipos se comunicam com você?


A linguagem que eles usam são os símbolos. Símbolo é uma imagem que carrega um significado mais profundo. Por exemplo, a imagem de um coração representa mais do que um órgão que bombeia o sangue, ela representa o arquétipo do amor.


Os símbolos provocam diferentes sentimentos em você, de forma consciente ou inconsciente; ou seja, perceba o símbolo ou não, ele está atuando em você de forma subliminar.


Arquétipos e símbolos estimulam a produção de certas substâncias no seu corpo que são os neurotransmissores. Essas substâncias geram determinadas emoções como medo, raiva, alegria, sensações como prazer, sentimentos (como amor, paz) e, além disso, interferem na forma como você enxerga a vida, sua reação ao que lhe acontece e o seu comportamento.

E isso, com o tempo, acaba moldando a sua personalidade. Viu como a coisa é séria?



5. Por que ativar arquétipos?

1) Como eu já disse, os arquétipos são fonte de energia e informação que se expressam através de símbolos. Logo, podemos fazer uso de símbolos fortes e positivos na decoração de ambientes e em objetos de uso pessoal, para ativar, por exemplo, energias de prosperidade, sucesso e alegria.


2) O conhecimento sobre os Arquétipos pode melhorar os nossos relacionamentos em todos os níveis (amorosos, familiares, sociedades, parcerias), já que cada pessoa é regida por um ou dois Arquétipos que podem ser reconhecidos após profunda pesquisa pessoal ou mesmo através de uma ferramenta como o Mapa Arquetípico®.


Para fazer seu Mapa Arquetípico®, clique no link abaixo:

Quero meu Mapa Arquetípico®


Conhecer a influência dos Arquétipos nas pessoas de seu convívio permite que você saiba qual a visão de mundo delas, as habilidades, dificuldades e comportamentos dessas pessoas, o que pode melhorar a compreensão e a dinâmica dos seus relacionamentos.


3) A nível empresarial, podemos influenciar positivamente as pessoas, vender mais e prosperar nos negócios, usando para isso o Design Arquetípico®, que é a criação de uma identidade visual para a empresa (logomarcas) ou do Branding Arquetípico®, que é a construção de uma marca baseada no estudo da empresa, dos sócios, dos produtos que se deseja vender, do mercado que se quer atingir, usando-se para isso a força emocional que os Arquétipos têm sobre nós. Afinal, Arquétipos são fatores essenciais em uma boa comunicação.


Para fazer seu Design Arquetípico, clique no link abaixo:

Quero solicitar meu Design Arquetípico®


4) Podemos aprender a nos comunicar com a riqueza dos conteúdos do nosso inconsciente, através da compreensão dos Arquétipos que surgem em nossos sonhos. Isso nos ajuda a ter mais equilíbrio mental e emocional. Os sonhos estão relacionados tanto à nossa saúde psíquica quanto física. Corpo e psique estão interligados ou, como diz Jung : “A psique e a matéria são aspectos diferentes de um único todo”.


5) Conhecer quais os arquétipos que nos influenciam é uma preciosa fonte de autoconhecimento. Os Arquétipos atuam em nossa mente desde o nascimento, ajudando a moldar nossa visão de mundo, revelando nossas habilidades, tendências, pensamentos, sentimentos e comportamentos. Conforme a fase da vida, novos arquétipos são ativados em nós e com isso, vamos mudando também, ganhando sempre mais informação, complexidade cerebral e expansão da consciência.


6) Arquétipos, como conteúdos inconscientes, podem nos inspirar no dia a dia, dando pistas sobre os melhores caminhos a seguir, seja através dos sonhos, da intuição ou do uso de ferramentas como o Tarot, já que as suas 78 lâminas representam diferentes Arquétipos que podem ser consultados sempre que necessitarmos de uma orientação vinda do nosso próprio mundo interior.


7) Quando reconhecemos quais os Arquétipos que estão ativados em nós - os aceitamos e vivemos plenamente, sem resistência alguma - nos tornamos capazes de expressar o anseio de nossa alma por certas experiências, nesta existência. Honrar nosso dharma é o antídoto para o sofrimento e o caminho de menor resistência para a iluminação espiritual.


Por isso, os Arquétipos podem ser considerados a chave para o nosso poder pessoal.

Ao descobrir quais Arquétipos regem sua vida, você entra na essência do seu ser. Quando os ativa em si, passa a ter acesso a padrões universais de energia e informação, que tem a capacidade de expandir sua consciência e impulsionar sua evolução, tanto no campo material quanto espiritual.


Ao identificar e explorar os próprios padrões arquetípicos, você compreende melhor quem você é e porque se comporta de determinada maneira, podendo lapidar os comportamentos que lhe são favoráveis e mudar aqueles que não mais lhe servem.





Como ativar um arquétipo?




É importante dizer que você já tem todos os Arquétipos no seu ser, em um nível profundo e ainda inconsciente. Alguns deles estão ativos e lhe regendo, guiando e orientando, saiba você ou não, aceite ou não.


Esses arquétipos trazem as virtudes, talentos, habilidades e qualidades de que você precisa para evoluir mais rapidamente. Portanto, estes já estão ativados em você, ok? Cabe a você vivê-los plenamente e não jogá-los para baixo do tapete, para não criar mais sombra psicológica.


Outros Arquétipos têm menor influência sobre você ou mesmo nenhuma. E como você já sabe, eles trazem virtudes muito importantes para sua evolução também. O ideal é ativá-los em algum momento de sua vida, e porque não agora?


E de que forma você poderá ativar um arquétipo?



O passo a passo:


Primeiramente, você precisa conhecer as características do arquétipo que quer ativar. Essa é a Via Intelectual.


Vamos dizer que você queira ativar o Arquétipo do Líder. Então vá pesquisar nos livros ou em conteúdos sérios na internet, a respeito de liderança: como se comporta um líder, o que ele faz, o que ele não faz, quais as virtudes e habilidades dele.


Então, depois de ter estudado bastante sobre o arquétipo, o próximo passo é tentar incorporar as qualidades dele em sua vida diária. Tem que viver o arquétipo, se comportar como ele se comportaria.


Aproveite e leia a biografia de alguns dos grandes líderes mundiais, de todos os tempos. Veja o que eles tinham em comum (as características em comum são exatamente o Arquétipo). Esse é um trabalho de pesquisa e vivência que você pode fazer sozinho.


Para quem faz o Mapa Arquetípico conosco, nós entregamos uma galeria de arquétipos, com a descrição de 22 arquétipos que selecionamos como fundamentais para a experiência humana e onde eles aparecem (nos mitos, nos filmes, músicas, livros, desenhos infantis). Isso já ajuda bem na pesquisa.


Outra forma de ativar um arquétipo pela via intelectual é estudando mitologia. Os mitos são estórias universais que expressam diferentes arquétipos.


Por exemplo, você quer se tornar uma pessoa mais sábia. Na mitologia de todos os povos, você vai encontrar um personagem que encarna a sabedoria. Na mitologia grega esse mito é a deusa Atena, na mitologia romana é Minerva, e assim, por diante.


Então, você estuda aquele mito, observa quais são suas características e comportamento, quais foram suas escolhas e quais os resultados dessas escolhas. Mas só estudar não basta!


É preciso tentar incorporar essas características em sua vida, dia após dia. Se comportar como aquele mito se comportaria.


Nas nossas publicações, nós indicamos vários livros excelentes sobre mitologia, com os quais você pode iniciar seus estudos.


Em breve, nós vamos lançar conteúdos gratuitos em vídeos sobre mitologia, para que você conheça esse mundo fascinante dos deuses e deusas e possa usar esse poder para criar uma vida mais consciente, feliz e próspera.


Outra forma de se ativar um arquétipo é através de Afirmações. Afirmações são frases que evocam o poder de cada arquétipo. As